Descobertas arqueológicas
selo comprova o que a bíblia diz e foi encontrado no muro das lamentações

Arqueólogos de Israel encontram objeto que homenageia o governador de Jerusalém, antes mencionado apenas no Antigo Testamento da bíblia

Um selo que comprova a Bíblia – PROVA 

DE AMIZADE O selo encontrado nas proximidades do Muro das Lamentações traz as figuras de dois homens apertando as mãos e a inscrição “ao governador da cidade” (Crédito: GALI TIBBON) – Bíblia

Leia também -‘Eu estudo na Mangueira 6’ – as árvores que são salas de aula para mais de 400 mil crianças em Moçambique

Uma escavação arqueológica na esplanada do Muro das Lamentações, em Jerusalém, Israel, removeu das profundezas do tempo um selo em argila cunhado há 2.700 anos que traz uma mensagem que pode ser especialmente significativa para o entendimento da história da região.

A gravação apresenta o desenho de dois homens trajados com mantos, um de frente para o outro e de mãos dadas, com uma figura que parece ser a Lua entre elas.

Logo abaixo, o selo traz as palavras em hebraico que significam “para o governador da cidade”.

A descoberta foi feita pela equipe coordenada pela arqueóloga Shlomit Weksler-Bdolah e anunciada no primeiro dia do ano pela Autoridade de Antiguidades de Israel.

“A importância dessa descoberta reside no fato de que até agora só conhecíamos a expressão de ‘governador da cidade’ pela Bíblia”, afirmou a responsável pelas escavações ao anunciar a descoberta.

Segundo ela, é a primeira vez que a menção ao governador de Jerusalém aparece em um contexto arqueológico. Com isso, o selo passa a ser a primeira prova, além do Antigo Testamento, de que havia um governo estabelecido na Cidade Sagrada em um tempo tão remoto.

EXAME CIENTÍFICO

Para Weksler-Bdolah, o fato de o selo ter sido encontrado em um edifício onde havia outros objetos evidencia que ele foi dado como prova de amizade por um emissário de um povoado próximo.

Segundo ela, a Lua era adorada pelas culturas vizinhas. Agora, um exame científico mais detalhado será realizado para comprovar que a cidade mencionada no selo é mesmo Jerusalém.

Leia também -Regime de Evo Morales criminalizará a evangelização na Bolívia

Fonte: Site ISTOÉ