ônibus que transportava cristãos e foi alvo de ataque a tiros no Egito

Ônibus com cristãos coptas ia para um mosteiro no sul do Cairo. Vinte e oito pessoas morreram e 25 ficaram feridas.

Um ataque armado contra dois ônibus e uma caminhonete que transportavam cristãos coptas deixou 28 mortos e 25 feridos no Cairo, no Egito, nesta sexta-feira (26), segundo a BBC e France Presse.

O ataque ainda não foi reivindicado, mas coincide com a ofensiva iniciada há alguns meses pelo braço egípcio do grupo extremista Estado Islâmico (EI) contra a minoria copta no Egito. A organização extremista deseja intensificar os ataques contra o grupo.

O grupo ia para ao mosteiro de Mosteiro de São Samuel, no sul da capital egípcia quando criminosos, que estavam a bordo de três picapes, abriram fogo contra os veículos, segundo o governador da província de Minya, Essam al-Bedaiwy.

A Reuters informou que que há um grande número de crianças entre as vítimas, segundo um funcionário do Ministério da Saúde.

O presidente egípcio, Abdel Fattah al-Sisi, convocou uma reunião de emergência com os serviços de segurança após o ataque.

A província de Minya abriga uma comunidade de tamanho considerável da minoria cristã, que representam cerca de 10 % da população de 92 milhões do Egito. Os coptas são uma das comunidades cristãs mais importante do Oriente Médio e uma das mais antigas.

Eles foram alvo de uma série de ataques letais em meses recentes. Em 9 de abril, um Domingo de Ramos, explosões em duas igrejas cristãs coptas em Tanta e Alexandria deixaram ao menos 44 mortos e mais de 100 feridos. Os ataques foram reivindicados pelo Estado Islâmico, que há alguns meses iniciou uma ofensiva contra a minoria copta no Egito